sábado, 29 de novembro de 2008

Um homem-morcego

J J Marreiro
jjmarreiro@yahoo.com.br
Cartunista

O Morcego que já cedeu sua presença soturna e sombria à mística das bruxas, às asas dos dragões e ao mito do vampiro encontrou nos quadrinhos a faceta pop que lhe faltava. Injustiçado pelas associações tenebrosas de até então, vestiu o manto da justiça e da vingança motivando Bruce Wayne em sua cruzada contra o crime em Gothan.

Ao longo dos anos o personagem de histórias em quadrinhos Batman ganhou várias versões e várias leituras, tantas ao ponto de se diluir o referencial a respeito de sua fidelidade à obra original. Hoje excelentes quadrinhos, games, animações e filmes foram feitos com o cruzado de capa. E sua história é recontada como são recontadas as histórias dos grandes mitos da humanidade como hércules ou aquiles.

Batman usa seu fato negro e a efígie do morgego para nublar, confundir e trazer medo aos criminosos: apenas os culpados têm o que temer. Homens misteriosos com suas roupas negras estão incrustados nas lendas de várias civilizações. Assumindo o papel de herói solitário ou de terrível vilão o homem de preto mitológico caminha sobre a civilização trazendo a força da mudança e assim ocorre com o personagem criado por Bob Kane e publicado em 1930, aqueles que tiveram seu caminho cruzado com o Batman seja nos quadrinhos, seja no cinema sempre terá o que contar.

Curiosidades:

A primeira versão cinematográfica de Batman foi em 1943 num seriado de 15 episódios da Columbia Pictures e outro seriado foi produzido em 1949. Esses seriados eram exibidos em seções de matinês e o público era diverso, apesar da grande presença de crianças. Nessas versões Batman usava todos e quaisquer recursos para sair das enrascadas do final do episódio, eventualmente matando os inimigos.

A Batcaverna foi criada para o seriado de 1943.

A primeira vez que o Batsinal iluminou os céus de Gotan City foi em 1949 no segundo seriado de Batman da Columbia Pictures.

Em 1966 Batman ganha um serie de TV e um longa metragem com o ator Adam West no papel principal. O tom da série era leve e bem humorado reproduzindo o tom estapafúrdio dos quadrinhos do herói do final dos anos 50 onde entra outras coisas apareceram o Bat Cachorro e o Bat Mirim (um duende que vestia uniforme parecido com o do herói).

Para abrir a passagem secreta para a Batcaverna, Bruce Wayne tinha que acertar os ponteiros do relógio da biblioteca para o horário em que seus pais foram mortos: 20h30min.

A armadura que Batman usa nos filmes foi desenvolvida porque Michael Keaton ator que interpretava o herói em 1989 era muito baixo e franzino.

A trama em que o Pingüim se candidata a Prefeito de Gothan City no segundo filme dirigido por Tim Burton foi retirada de um episódio do seriado dos anos 60.

Anexo: Batman: Dead End é um curta de 8 minutos que custou um pouco mais de 30 mil dólares, mas causou um eco incrível na indústria cinematográfica. Dirigido e produzido por Sandy Collora, foi lançado em julho de 2003 na Comic-Con, em San Diego, Estados Unidos. Mesmo tendo sua exibição proibida, alguns websites começaram a divulgar o filme que rapidamente se transformou na sensação do mundo virtual. Collora é bastante conhecido em Hollywood por produzir criaturas para filmes como Parque dos Dinossauros, Exterminador do Futuro, Predador e Edward Mãos-de-Tesoura. Dead End foi a sua primeira investida como diretor. O que vocês acham?


video

Nenhum comentário: