segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Reciclar é apenas a ponta do iceberg


Carlos Limaverde
limaverd@unifor.br
Arquiteto e Urbanista

Partamos do princípio de que tudo que acontece em nosso país, cidade e bairro acontece também conosco! Logo temos o direito de participar de todas as decisões.
Foi pensando assim que nasceu o Estatuto da Cidade, na Constituição de 1988 e posteriormente foi aprovada a lei de Nº 11.445 / 2007 onde todos os entes federativos deverão no âmbito de sua competência elaborar os planos Nacional, Estadual e /ou Regional e Municipal de Saneamento Básico. Hoje, por dia, 200.000 pessoas saem de seu lugar de origem atrás de oportunidades em áreas urbanas.
Sabemos que no começo dos anos 1900 nosso país detinha apenas 10% de sua população vivendo em cidades e após a 2ª Grande Guerra atingíamos 50%.

Sabemos que durante o Milagre Econômico vivido pelo nosso país, na época da Ditadura Militar já passávamos de 70%, e hoje já ultrapassamos os 80%. O que isso quer dizer: Estamos cada vez mais produzindo lixo, exigindo dos nossos recursos naturais mais produtos, e estamos cada vez mais produzindo e adicionando produtos tóxicos – mais de 100.00 tipos de produtos tóxico em uso – e levando tudo isto para o mercado consumidor, sem que as pessoas tomem conhecimento da origem, do processo de fabricação, de como estes produtos são distribuídos e de como eles seguem uma LÓGICA DO CONSUMO.

O Brasil gera por dia cerca de 240.000 toneladas de lixo e na outra ponta não reaproveita cerca de 60% através de reciclagem. Quando descartamos, quando jogamos fora, quando desperdiçamos, estamos dizendo: SOU CONSUMIDOR E NÃO SOU ESCLARECIDO!
Se formos para produtos industrializados caímos na esparrela da OBSOLECÊNCIA PLANEJADA! Se não cairmos nesta outra, caímos na OBSOLECÊNCIA APARENTE. Daí dizermos que o problema não reside apenas na RECICLAGEM, ele reside também na forma de extração da matéria prima que destrói árvores, mudam paisagens ao serem retirados minérios poluindo mananciais. Daí dizermos que quando da produção, escravizamos operários, enchemo-los de produtos tóxicos e de doenças , exploramos menores nos quatro cantos do mundo e não oferecemos aceso a saúde de qualidade ,etc.
Quando da distribuição destes produtos, a ordem é girá-los nas prateleiras, e lucrar... Hoje leio nos jornais:

· CRIAÇÃO DE PROGRAMAS MAIS EFICIENTES DE FIDELIDADE;
· COMPRA POR IMPULSÃO;
· OFERECIMENTO DE VANTAGENS DIFERENCIADORAS;
· SUFAR NAS VENDAS DO QUE AINDA ESTAR POR VIR...

O leitor já parou para pensar, que 99% dos produtos em 6 meses não devem estar mais nas prateleiras? Já pensou que o shopping foi invenção americana para seduzir e criar clima propício ao consumo? Que o “Self –Service” está lá para rápidamente você consumir além daquilo que seu organismo necessita, só pelo apelo do colorido das comidas? Que muitas vezes você paga pelo o produto, o que na verdade não retrata os custos? Enfim, que criaram os 3 ERRES – reduzir, reutilizar e reciclar como apelo de “marketing”? Enfim, que se reciclarmos 100% de tudo que consumimos ainda assim não estamos contribuindo 100% para a vida de nossa única terra? Pense nisto e sinta o que eu sinto - RECICLAR É APENAS A PONTA DO ICEBERG!!!

5 comentários:

Anônimo disse...

Passei por aqui, depois de ouvir a dica no seu programa Da Hora. Achei o blog bom, mas gostaria de fazer uma correção. Não é iciberg. É Iceberg.
Desculpe.

Arturo Randal

Vertebral disse...

Obrigado...as vezes não tenho tempo de ser editor...confio na qualidade de meus colaboradores, e sei que foi apenas um pequenino descuido. O principal está no tema em discussão. Abraço e continue me ajudando...

Nayanna disse...

Isso é um desabafo:

Há duas semanas me senti órfã da sociedade. Confesso que foi terrível, muito pior do que quando o abandono exercido por nosso governo Municipal, Estadual ou Federal. Pois bem, há duas semanas percebi um incêndio no Parque do Cocó, próximo a Av. Sebastião de Abreu, às sete da manhã. Fiquei ligando até meio-dia para os bombeiros, e nada! A fumaça, por esse horário, já dava para ser vista da Eng. Santana Jr, como se uma neblina envolvesse o parque. O tráfico na Av. Sebastião de Abreu foi interrompido! Como ninguém veio, resolvi ligar para quatro veículos da imprensa, como se eles fossem os salvadores da pátria, confiando realmente que eles viriam...Mas não vieram! Nenhuma nota na imprensa escrita ou televisiva. No meio do incêndio, que fui conferir de perto, coincidentemente estavam alguns trabalhadores de uma construtora, que há algum tempo (6 meses) vêm medir a região para construir um condomínio fechado.Junto com eles, estava um sujeito que dizia que aquelas terras eram particulares, e que lá eles podiam fazer o que quisessem. Corri para pegar a máquina fotográfica em casa, mas quando retornei, nem sinal mais dessas pessoas. E fiquei lá, só, no meio do mato queimando, sem bombeiro, sem imprensa, ou qualquer outro cidadão que saísse de suas atividades habituais e fosse ajudar. Vi a mata e os bichos abandonados, foi algo muito triste, que me doeu.
Com o fogo, morreram animais da região. O solo foi comprometido, e a vegetação nem se fala.
Gostaria muito que houvesse uma união da sociedade fortalezense em torno do parque. Sozinha, me sinto impotente.

Mas aviso: A impotência não vai me fazer parar de tomar as atitudes certas. Se fosse para fazer tudo de novo, faria novamente!

Nayanna.
Pedido: Onde eu encontro o cd que vcs passaram no da hora que trata da relação consumo e poluição? Gostaria muito de tê-lo e repassá-lo com fins educacionais.

Obrigado.

Vertebral disse...

Nayanna....espero que o desabafo tenha efeito....quanto ao vídeo, a história das coisas....é fácil encontrar...no youtube

nayanna disse...

Olha, descobri o nome da construtora que vai construir no Parque do Cocó. É a mesma que construiu aquele paredão enooorme na engenheiro Santa Júnior e que nos tirou a vista da mata, no final da Antônio Sales. O pior, é que temo ser um projeto tão grande quanto aquele. É uma região que tem uma nascente, um olho d'agua, e a mata é parecida com a do mangue da trilha, com a fauna típica...O que srá que aconteceu com a liminar que proibia a construção de imóveis na região? Como a SEMAN e a SEMACE liberaram a obra? É pq segundo informações das pessoas que estão medindo o lugar, já foi tudo liberado.

Bem, não vou mais escrever, pois temo estar sendo incoveniente em usar o seu blog. Mas é que tinha que tornar público isso e sei que o seu blog deve ser lido por muitas pessoas. Tenho que de alguma forma lutar, por um bem que é difuso, pertence a todos nós, e por eles, os bichos e a mata.



Obrigado.